espaço experimental 25 anos – anotações do documentar, dar suporte, e alguns versos

Daqui continuamos a pensar na documentação como suporte, e como ação que acompanha uma criação. Um processo. Uma vida. Pensar-fazer os suportes para a documentação continua a fazer-se como reflexão prática da invenção de um suporte e de um convite de acompanhamento. A consistência da prática de agrupar, cortar, dobrar as folhas. Encontrá-las, cerze-las. A … Continuar lendo espaço experimental 25 anos – anotações do documentar, dar suporte, e alguns versos

Anúncios

Vertical (e balanço)

21 de maio de 2018 Sofia convida a balançar em diferentes cadências – três passos para frente, três passos recuando, quatro, dois, um, cinco...o que é que essa cadência me ensina? Vai e volta - que é sempre um ir, um seguir adiante - um ouvir o que se está elaborando com os outros corpos. … Continuar lendo Vertical (e balanço)

Para Maruan. Desde uma dança com a Catarina.

Lisboa, 06.abril de 2018 Lisboa, 16.abril de 2018 Maru , No dia 06, que era uma segunda-feira e que, em alguma curva do corpo parece que passou a menos de dez dias, dançamos aqui na sala branca do c.e.m na escuta de um convite do corpo-dança da Catarina. Não me lembro se vc chegou a … Continuar lendo Para Maruan. Desde uma dança com a Catarina.

a documentação como um ato.

ali no papel inscreveu-se: em cura  em dança é possível que um quadrado se arredonde em contínuos redondos? um plano sólido se flexibilize? que artérias se capilarizem para atravessar o espaço, abrindo, arejando ? uma atividade muito básica e simples de cortar continuamente o papel. (como trepante ou obra-mole de Lygia, 1964-1965) escolho a cor … Continuar lendo a documentação como um ato.

olá baleia,

aqui perto do chão sinto vibrações fortes, acho que muitos "pés" ou "bundas" assim sobre esse solo a tilintar, pousar, pular, pulsar. hoje de manhã ouvi seu canto. sei lá como...próximo da superfície do mar e do céu, e ora lá tão distante da profundidade do oceano. quando nos visita as 5a f. ao chamado … Continuar lendo olá baleia,