espaço experimental do fim de maio

escavação # 1 – estudo sobre a permanência
(sofia osório) 

Espiralar dentro fora da terra. A velocidade que a volta pode tomar. Penso no movimento da bolinha que atira-se à roleta nos cassinos. No tarot de Marselha há uma carta que costuma-se chamar de “a roda da fortuna”. É uma paisagem veloz, provavelmente transformadora — ainda que a mudança projetada aparecesse como deslocação inverta-se à mudança do cair em si. Logo que a roleta deixar de girar. Vejo a Sofia a girar em si fora de si em si fora de si, penso na umidade. No brotar possível das águas ainda que o vento acompanhe um ressecamento. A elasticidade do que permanece, aqui, parece afinar-se à inclinação da sala.

o abraço do mundo e outras proposições
(gastão da cunha)

Uma proposição supõe uma negociação, ainda que estejamos distraídos. Assim que a caneta chegar às mãos de quem está ao meu lado, vão escrever na minha pele. Escolho onde. Escolho se sim ou não? A mão que pousa no antebraço. A mão que pousa na outra mão. Detenho-me no toque da caneta na pele que vejo, a passagem tinta caneta tinta pele. A Margarida a estender a pele-papel… A passagem dos fios fininhos que se espalham. Vai já acabar. O tempo de um traçado e a continuação do percurso da caneta. Acabou.

sobre raízes e asas
(renata hardy)

O bicho dança e instala plantas em camadas. Uma esteira conta verdes em diferentes arranjos, contornos, tamanhos. É possível amar com tranquilidade, e dispostas aos vasinhos, tão colocadinhas, as plantas que nos encontram são quase fofinhas. A dança cresce do chão e arranca-se de onde? Confundimos brotar e arrancar quando é um corpo humano que conta esta história? Ver o corpo que dança a aparecer de dentro da terra permitiu um afastamento aproximação a violência que entra, jorra e não esconde. Embora o nascer esteja.

como continuar enquanto alguns bichos cortam algumas coisas ou algumas coisas cortam alguns bichos?
(coline gras)

a coline abre a abertura. espanta o desvelamento.
não há antes, nem depois do descoberto.

entre, coração.

a coline a abertura,
acaba a dança quando como é possível que vá acabar
acaba uma dança
quando
como é possível
acaba uma dança?

laura

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s